Essa é uma dúvida que muitas pessoas que chegam em nosso consultório apresentam, essa relação hipotireoidismo e obesidade. E é bom que fique claro logo de início que hipotireoidismo é a diminuição na produção de hormônios tireoidianos na glândula tireoide, pois essa é outra dúvida que apresentam.

Agora, então, vamos desmistificar a pergunta: Hipotireoidismo engorda?  Não, o hipotireoidismo não leva a um quadro de obesidade, no máximo propicia ganhar discretamente algum peso.  No entanto, o hipotireoidismo, quando não tratado, pode dificultar um pouco a perda de peso, pois como a produção do hormônio da tireoide está diminuído, a nossa taxa metabólica basal também diminui e consequentemente o nosso gasto energético.

Então, vamos aproveitar e entender um pouco sobre a tireoide, sobre o hipotireoidismo, suas causas e como isso pode impactar em nossa saúde.

 

A glândula Tireoide

A glândula tireoide fica na parte anterior de nosso pescoço, estimulada por um peptídeo (proteína) chamado TSH, ela produz os hormônios tireoidianos que são o T4 (tetraiodotironina) e T3 (tri-iodotironina).  Esses hormônios são responsáveis por grande parte de todo controle de nosso metabolismo, assim o hipotireoidismo – diminuição da produção dos hormônios tireoidianos – pode levar a sérios prejuízos a nossa saúde. Pois, praticamente todas as células de nosso corpo sofrem efeito dos hormônios tireoidianos, e os mesmos são essenciais para o crescimento e desenvolvimento normais, controlam a intensidade do metabolismo, agindo em praticamente todos os órgãos do nosso corpo.

 

Causas de Hipotireoidismo Primário

O hipotireoidismo primário, é aquele em que por algum problema na própria glândula tireoide há diminuição na produção dos hormônios tireoidianos:

  • Tireoidite crônica autoimune (Hashimoto) – causa mais comum;
  • Tratamento do hipertireoidismo com radio iodo ou tireoidectomia;
  • Radioterapia externa cervical;
  • Bócio endêmico – em áreas com deficiência grave de iodo;
  • Doenças infiltrativas como amiloidose, sarcoidose e hemocromatose, cistinose e esclerose sistêmica progressiva;
  • O excesso de iodo também pode levar a um hipotireoidismo transitório;
  • Drogas que bloqueiam a síntese e/ou liberação dos hormônios tireoidianos como o lítio, contrastes iodados e amiodarona;
  • Tireoidite subaguda – granulomatosa e linfocítica;
  • Tireoidite pós-parto – como a acima;
  • Tireoidite de Riedel – fibrose da tireoide.

 

Sinais e Sintomas que o hipotireoidismo pode apresentar

  • Acumulo de glicosaminoglicanas na pele e outros tecidos levando a mixedema (pele espessada e aparência inchada), macroglossia (inchaço com aumento de tamanho da língua) e voz rouca por espessamento das membranas mucosas da faringe e laringe;
  • Pele áspera;
  • Pele seca;
  • Pele amarelado por acumulo de carotenos;
  • Edema palpebral;
  • Sudorese diminuída;
  • Madarose – perda do terço distal da sobrancelha;
  • Queda de cabelos;
  • Cabelos ressecados e quebradiços;
  • Fragilidade da unha;
  • Intolerância ao frio, pele fria e pálida;
  • Derrame pericárdico;
  • Derrame pleural;
  • Aumento dos triglicerídeos e colesterol;
  • Anorexia;
  • Constipação intestinal;
  • Fadiga muscular, mialgias e cãibras;
  • Raciocínio lento;
  • Déficit de concentração;
  • Fala lenta e arrastada;
  • Perda de memória;
  • Letargia e apatia;
  • Demência;
  • Síndrome do túnel do carpo;
  • Aumento do sangramento menstrual e irregularidade do mesmo;
  • Infertilidade feminina, diminuição de libido e aborto espontâneo;
  • No homem – diminuição do libido, impotência e diminuição da produção de espermatozoides;
  • Anemia.

 

Tratamento do hipotireoidismo primário

O tratamento do hipotireoidismo primário é a reposição do hormônio tireoidiano, a levotiroxina.  Tratamento esse, que na maioria das vezes é tão simples, e pode evitar e reverter uma série de problemas.

 

Dica importante

Há pessoas em que tem maior risco de desenvolver hipotireoidismo e outras que podem ter um prejuízo mais intenso de sua saúde e desenvolvimento, principalmente crianças e gestantes.

Portanto, digo com todo carinho, que sempre tenha um médico de confiança, capacitado, em que você o tenha como referência, para que lhe acompanhe para o resto de sua vida, que possa olhar para você como um todo, promovendo sua saúde e bem-estar físico psíquico, assim como, prevenir doenças, tratar e reabilitar, para que tenha uma vida mais longeva e com qualidade.



Leia mais artigos do NUTRONEWS

Quer receber artigos e dicas de saúde como este?
Inscreva-se na NUTRONEWS e fique muito bem informado(a):
%d blogueiros gostam disto: