Há uma pandemia de obesidade no mundo, e a mesma aumenta o risco de diversas doenças como diabetes, alguns tipos de câncer, doenças articulares, aumento do colesterol e triglicerídeos, aumento do risco de infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico, hipertensão arterial sistêmica entre muitas outras.

Portanto, a obesidade deve ser tratada com muita seriedade, com diversas “armas” e sem preconceito. E por ser uma doença crônica, não há cura, somente há o controle, como as outras doenças crônicas:  hipertensão arterial sistêmica, diabetes, em que o indivíduo vai tomar medicamentos para o resto de sua vida, além da mudança do estilo de vida (alimentação adequada e atividade física).

E somente a mudança de estilo de vida pode não ser tão eficaz, e até impraticável para certas pessoas.  E os medicamentos que temos hoje no mercado são caros e muitas vezes não são tão efetivos e a cirurgia bariátrica tem indicações precisas, não devendo ser prescrita para todos os obesos.

Portanto, identificar dietas capazes de produzir um emagrecimento significativo e duradouro é obrigatório, assim podemos lançar mão de uma dieta chamada VLCD (Very Low Calorie Diet) – dieta de muito baixas calorias, pois é uma dieta que resulta em emagrecimento rápido, mais consistente e com baixa perda de massa magra, segundo alguns estudos.

A VLCD é uma dieta com muito poucas calorias (600 a 800 Kcal/dia) e cetogênica, em que é usada proteína de alto valor biológico, vegetais, gordura (azeite de oliva) e no máximo 50 gramas de carboidratos para homens e 30 gramas para mulheres.  Assim, como a ingestão de carboidratos é muito pequena, nosso organismo começa a usar gorduras como fonte de energia, e na metabolização dessas gorduras há grande produção de cetoácidos (por isso chamada dieta cetogênica), os quais atuam na área da fome em nosso sistema nervoso central, diminuindo ou quase abolindo nosso apetite, proporcionando emagrecimento rápido.

Diversos exames são feitos antes e durante a dieta, e o indivíduo tem de fazer uso de poli vitamínicos, minerais e ômega 3 para assegurar que está ingerindo quantidade adequada de nutrientes para manutenção de sua saúde. E associado a isso, atividade física e reeducação alimentar, sendo a última já em fase de readaptação fisiológica e manutenção.

Essa dieta por sua complexidade e levar a intensa modificações em nosso metabolismo, deve ser indicada e prescrita somente por médicos capacitados.

 

Conclusão

A VLCD é uma grande “arma” contra a obesidade e deve ser conduzida por um médico dentro de uma equipe multidisciplinar (médico, nutricionista e educador físico) para que possamos ter o maior sucesso possível no tratamento, preservando e ganhando saúde.

 

Referência Bibliográfica:

MORENO, B.; BELLIDO, D.; SAJOUX, I.; GODAY, A.; SAAVEDRA, D.; CRUJEIRAS, A. B.; CASANUEVA, F. F. Comparison of a very low-calorie-ketogenic diet with a standard low-calorie diet in the treatment of obesity. Endocrine, v. 47, n. 3, p. 793–805, 2014.

MORENO, B.; CRUJEIRAS, A. B.; BELLIDO, D.; SAJOUX, I.; CASANUEVA, F. F. Obesity treatment by very low-calorie-ketogenic diet at two years: reduction in visceral fat and on the burden of disease. Endocrine, v. 54, n. 3, p. 681–690, 2016.

 

%d blogueiros gostam disto: